O criador italiano deixa o cargo de diretor criativo da casa francesa depois de 12 anos ligado à Givenchy. Em declarações ao WWD, Riccardo Tisci assegura que a rescisão foi amigável.

A saída prende-se com o término do contrato de Tisci com a marca, a 31 de janeiro, e significa que o designer não volta a fazer a vénia final nas próximas coleções da casa – incluindo a de womenswear, que acontece durante a semana de moda de Paris no final de fevereiro/início de março. As últimas coleções com a sua assinatura foram as de Homem e de Alta Costura, recém apresentadas nas fashion weeks respetivas.

Apesar de não se saber pormenores sobre a razão que espoletou a não renovação do contrato, as especulações apontam uma mudança de Tisci para a Versace, suportadas pela amizade do designer com Donatella Versace (que chegou a protagonizar uma campanha da Givenchy).

A par e passo com os burburinhos em torno da sua próxima aventura, surgem também as conversas sobre quem irá ocupar o lugar do italiano na casa francesa. Designers que recentemente também ficaram “sem marca”, como Peter Dundas, Hedi Slimane, Clare Waight Keller e Peter Copping estão no reino das hipóteses.

Ainda há quem fale em Olivier Rousteing, que está neste momento no leme artístico da Balmain, como um possível sucessor.

A próxima coleção feminina da Givenchy será terminada com o selo da equipa criativa da maison.