Depois da cidade do Porto, o grupo Pestana decidiu apostar na capital e trazer para o coração de Lisboa o conceito Rib Beef & Wine.

O nome não engana e a definição de coração da capital também não: situa-se no Terreiro do Paço (com entrada também pela Rua Áurea, aka Rua do Ouro) o restaurante e bar com predileção pelas carnes de elevada qualidade com assinatura do chef Luís Rodrigues.

O almoço de inauguração, ou soft opening, em bom rigor, foi um verdadeiro festim em que ficou demonstrado todo o potencial do RBW.

Pensado para um espírito de partilha à mesa, as carnes que o chef apresenta sempre com corte excepcional não devem tanto ser entendidas como pratos, pelo contrário. Cada naco, filete de lombo ou costela devem ser apreciados por todos os convivas. E quanto mais forem os convivas, mais partilhas poderão existir e maior será, seguramente, a satisfação final de cada um.

No almoço de apresentação à imprensa, o menu foi variado e evoluindo sempre em crescendo. Depois do cocktail de boas-vindas – as opções eram várias, mas elegemos o “Lés-a-Lés”, com base em vinho do Porto e copo polvilhado de chocolate -, chegou o couvert, simples e tradicional, com manteiga artesanal, azeite e outras pequenas delicadezas.

Seguiram-se as entradas e foi altura de brilhar o carpaccio, delicioso. O tataki de atum também seria uma escolha de bom-gosto.

A cadência vagarosa das entradas foi permitindo que percebêssemos o privilégio da localização. Estar sentado com vista para a Rua Áurea e para o Terreiro do Paço ao início de uma tarde soalheira de um dia de semana é um pequeno bálsamo.

Por falar em bálsamo, chegou mais uma entrada: espuma de batata com cogumelos e ovo cru. Muito criativo e ligeiro, ótimo para abrir o apetite para o que se seguiria.

E a primeira das carnes de excelência seria suficiente para fazer as delícias de qualquer um. Um extraordinário chateaubriand, de corte exemplar e cozinhado ao ponto. A acompanhar, ‘à Brás’ de legumes e um arroz de grelos cujo aroma conquistaria o nariz mais frígido.

Seguiram-se ainda o cowboy steak (corte de novilho maturado a 28 dias) e a vazia maturada a 60 dias, antes das sobremesas – às quais, por impedimentos de ordem volumétrica já não conseguimos aceder e deles desfrutar como mereceriam (sim, estávamos mesmo cheios).

Tudo isto sempre acompanhado por uma boa escolha de vinhos, brancos e tintos. Aliás, o Rib Beef & Wine é sobretudo um lugar de estar: com duas esplanadas, uma decoração cuidada, um bar e uma garrafeira recheados de bom-gosto, é definitivamente uma escolha para quem desfrutar do sol e da bonomia tipicamente lisboetas.

O RBW oferece ainda menus alternativos à carne e outros mais compactos, como o menu executivo, para quem não tenha disponível o tempo que uma refeição longa requer – e, no caso, bem merece.