O talentoso médio croata do Real Madrid, Luka Modric, não foi meigo quando o questionaram acerca do vídeo-árbitro.

É uma ideia nova. Para ser sincero, não me agrada, nada“, disse Luka, depois do jogo do Real Madrid contra o Club América na meia-final do Mundial de Clubes, que está a ser disputado no Japão, até dia 18, em Yokohama e Osaka.

A FIFA decidiu usar pela primeira vez o recurso ao vídeo para auxiliar a arbitragem numa competição oficial masculina. Mas a aplicação do vídeo-árbitro não tem sido completamente pacífica.

O recurso às imagens tem causado demoras e alguma confusão, como sucedeu precisamente no jogo que o Real Madrid venceu 2-0 e que colocou os merengues na final da competição. Já no tempo de compensação, Cristiano Ronaldo marcou golo num lance em que se desmarcou da linha defensiva adversária. Num primeiro momento, o árbitro validou o golo, pois o árbitro auxiliar não assinalou fora-de-jogo. Porém, a assistência de vídeo-árbitro deu ordem para anular, pois entendeu que o Bola de Ouro estava em offside.

Mas não ficou por aqui. Passados mais alguns segundos, nova decisão da cabine do vídeo-árbitro chegou aos ouvidos do árbitro humano da partida, que parecia já um pouco desorientado. Afinal era mesmo golo, o português estava em posição legal. Bola ao centro.

“Acho que gera demasiada confusão e espero que a regra não se mantenha porque isto não é futebol. As minhas primeiras impressões não são nada boas”, sentenciou Modric, que irá defrontar o inesperado Kashima Antlers – a equipa japonesa começou a prova no play-off, longe de ser favorita – no próximo domingo, no jogo que decidirá quem é o novo campeão do mundo.

A final do Campeonato Mundial de Clubes tem início às 10h30, hora de Lisboa, e é precedida pelo jogo de atribuição do terceiro lugar, entre Club América e Atlético Nacional, às 7h00.