O futebol teve posição de destaque em mais uma Gala do Desporto da Confederação do Desporto de Portugal, organizada no Casino Estoril. Em ano de conquista do Campeonato da Europa diante da França, a seleção nacional ficou à frente de todos os outros finalistas na conquista do prémio de Equipa do Ano, para além de Fernando Santos ter sido galardoado com o prémio de Treinador do Ano.

“O prémio é da seleção A é para todos, desde a Federação aos funcionários, selecionadores, treinadores, atletas, dirigentes, público, comunicação social. É um percurso e uma união de muitas coisas que fez com que a FPF tenha tido este grande reconhecimento”, disse em palco Humberto Coelho. Para além de ter sido escolhida a Equipa do Ano, o vice-presidente da Federação Portuguesa de Futebol aproveitou também para agradecer o Prémio Alto Prestígio, atribuído tanto à sua entidade como à Federação Portuguesa de Surf.

A seleção nacional de futebol tinha como concorrentes outros como a equipa de ténis de mesa nacional e a equipa feminina de atletismo do Sporting CP. Em termos individuais, Renato Sanches foi considerada a Jovem Promessa de 2016 e Fernando Santos, responsável por dar o título Europeu a Portugal, levantou a estatueta de Treinador do Ano. “Este é um prémio que é fruto do trabalho de muita gente. Tenho a minha quota-parte mas acho que é um prémio justo porque conseguimos alcançar algo que poucos acreditariam e todos desejavam“, referiu o técnico.

De resto, os prémios de Atleta do Ano foram para Fernando Pimenta e Telma Monteiro. O atleta da canoagem conquistou a quinta posição nos 1000 metros K1 nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro depois de ter sido consagrado campeão europeu dos 1000 e 5000 metros K1, tendo levado a melhor contra nomes como Pepe, pela sua prestação no Euro2016, e Marcos Freitas.

Telma Monteiro viu reconhecida a conquista da medalha de bronze no Rio de Janeiro, a única medalha conquistada por Portugal, e nem as boas temporadas de Patrícia Mamona (atletismo) ou de Luciana Diniz (equestre) serviram para lhe tirar a distinção. Paulo Gonçalves recebeu ainda o prémio de Ética depois de assistir um adversário que sofreu um acidente no Dakar.